Feedback: o que é, como dar e a importância para empresas

feedback

O feedback é mais do que uma simples expressão no ambiente corporativo; é uma ferramenta essencial para o desenvolvimento pessoal e profissional. Vamos explorar o significado, a importância nas empresas, tipos, modelos, vantagens e, claro, como fornecer um feedback construtivo.

O que é Feedback?

Antes de mergulharmos nas complexidades do feedback, é fundamental compreender sua essência. Em termos simples, feedback refere-se à resposta, reação ou avaliação fornecida a alguém sobre seu desempenho ou ações. Essa troca de informações é uma peça-chave para o crescimento individual e o aprimoramento coletivo.

Tipos de Feedback

O retorno aos colaboradores assume diversas formas, cada uma com sua singularidade e impacto. Vamos explorar alguns tipos essenciais que moldam a comunicação e o crescimento profissional.

Feedback Positivo

O feedback positivo é uma ferramenta poderosa para motivar e fortalecer comportamentos desejados. Ele proporciona um ambiente construtivo e reforça o que está sendo feito bem. Como exemplo, imagine um gestor elogiando um colaborador por sua iniciativa criativa:

“Sua abordagem inovadora trouxe uma perspectiva valiosa para o projeto, destacando seu comprometimento e criatividade.”

Feedback Negativo: Orientação para Melhorias

O feedback negativo visa identificar áreas de melhoria, mas sempre com uma abordagem construtiva. Por exemplo, ao fornecer feedback sobre a gestão do tempo, poderíamos dizer:

“Observamos que o cumprimento de prazos pode ser otimizado com uma melhor organização. Vamos trabalhar juntos para desenvolver estratégias que melhorem essa habilidade.”

Feedback Formal

O feedback formal segue um formato estruturado e é frequentemente documentado. Este tipo é comumente utilizado em avaliações de desempenho. Um exemplo seria: “

“Conforme a revisão trimestral, destaco suas conquistas notáveis no alcance das metas estabelecidas, demonstrando consistência e excelência em suas responsabilidades.”

Feedback Informal

O feedback informal é mais espontâneo e ocorre no dia a dia. Imagine uma conversa entre colegas de equipe:

“Gostaria de reconhecer seu excelente trabalho na última reunião. Sua contribuição foi fundamental para o sucesso da apresentação.”

Feedback Insuficiente

Quando o feedback é insuficiente, falta orientação específica para o desenvolvimento. Um exemplo seria:

“Você precisa melhorar seu desempenho.”

Esse tipo de feedback deixa o destinatário sem direção clara sobre quais aspectos precisam de aprimoramento.

Feedback Ofensivo

O feedback ofensivo é prejudicial e não contribui para o crescimento. Um exemplo seria:

“Seu trabalho é sempre terrível.”

Este tipo de feedback não oferece orientação construtiva, impactando negativamente o moral e a produtividade.

Principais Modelos de Feedback

No cenário dinâmico do ambiente de trabalho atual, a busca por aprimoramento constante é essencial. A prática eficaz de feedback desempenha um papel crucial nesse processo, fornecendo insights valiosos para o desenvolvimento profissional. Neste guia, exploraremos brevemente os principais modelos de feedback.

  1. Autoavaliação: Neste modelo, os indivíduos avaliam seu próprio desempenho, promovendo autorreflexão e consciência sobre suas habilidades e áreas de melhoria.
  2. Feedback 90°: Envolve o feedback fornecido pelo supervisor direto ao colaborador. É uma abordagem tradicional que focaliza as interações diretas entre o líder e o liderado.
  3. Feedback 180°: Expande o escopo do feedback 90° ao incluir a perspectiva dos colegas de equipe. Isso proporciona uma visão mais abrangente do desempenho do indivíduo.
  4. Feedback 360°: Incorpora avaliaçõ1es de várias fontes, como superiores, colegas, subordinados e até mesmo clientes. Proporciona uma visão holística do desempenho.
  5. Feedback Sanduíche: Consiste em intercalar aspectos positivos com áreas de melhoria ao fornecer feedback. Inicia e encerra com pontos positivos, suavizando a recepção das críticas construtivas.
  6. Avaliação da Equipe: Enfoca a avaliação do desempenho da equipe como um todo. Identifica pontos fortes e áreas de melhoria no trabalho conjunto.
  7. Avaliação por Competências: Avalia o desempenho com base em habilidades e competências específicas. Destaca a importância do alinhamento das habilidades com os objetivos organizacionais.
  8. Avaliação Comportamental: Concentra-se nos comportamentos observáveis do indivíduo, analisando como suas ações contribuem para os objetivos estabelecidos.
  9. Feedback Canvas: Utiliza uma abordagem visual, muitas vezes representada em um “canvas”, para explorar e discutir áreas de melhoria e pontos positivos.
  10. SCI (Situação, Comportamento, Impacto): Estrutura o feedback em termos da situação específica, comportamento observado e o impacto resultante. Foca em exemplos concretos para uma compreensão mais clara.

Como dar um Feedback?

Antes de dar seu feedback, elabore um pequeno roteiro. Aqui estão cinco passos para guia-lo para um bom resultado:

  1. Preparação

    Reflita cuidadosamente sobre o que pretende falar e faça um balanço de aspectos positivos e negativos, assim os fatos mais importantes serão privilegiados na conversa, bem como os pontos positivos ajudam a quebrar a resistência.

  2. Escolha do ambiente

    A conversa deve ser em um ambiente neutro, sem interrupções ou terceiros, pois o local adequado ajuda a diminuir a tensão. É fundamental que telefonemas ou secretárias não interrompam o processo de feedback.

  3. Definição de Regras

    Para que a conversa não se reduza a um jogo de acusações e defesas é aconselhável pedir que, enquanto você fala, o outro apenas escute, pois, as respostas de bate-pronto geram tensão. Com a espera, a impulsividade é controlada e há tempo para assimilar o que foi dito.

  4. Início

    Inicie a reunião de feedback de forma leve e se concentre sobre os pontos positivos de quem ouve, antes de cobrar algo, pois isto ajuda a diminuir as defesas do outro e ainda dissolve parte da tensão da conversa.

  5. Finalização

    Ao final é fundamental que haja um reforço dos pontos principais do feedback, pois ajuda a organizar o pensamento e selecionar o mais importante da conversa. Seja breve!

Dicas de como dar Feedbacks

Agora exploraremos dicas valiosas sobre como oferecer feedback de maneira clara, respeitosa e orientada para o crescimento. Descubra a arte por trás do processo de fornecer retorno aos colaboradores de forma construtiva e torne-se um comunicador eficaz, promovendo o desenvolvimento contínuo e o sucesso coletivo.

  • Seja específico: Ser específico e não generalista não cria dúvidas ou falsas expectativas durante o processo. Apresente exemplos e argumentos palpáveis!
  • Seja simpático e tenha empatia: Não faça com que esta conversa pareça que você quer “derrubar” a pessoa, quebre o gelo e inicie sempre com expressões amigáveis.
  • Mantenha o equilíbrio: Não elogie demais, nem critique demais. Para ser construtivo, o feedback não pode ser “puxão de orelha” nem tampouco “jogar confete”. Equilibre sua análise ressaltando os pontos fortes e os pontos a serem desenvolvidos.
  • Apresente orientações: Mostre como o processo realizado pelo ouvinte poderia ter tido um resultado melhor. Apenas dizer que algo não deu certo, sem comentários consistentes, deixa o feedback sem sentido. É necessário sinalizar o que pode e deve ser feito para melhorar.
  • Tenha mente aberta: Mostre estar aberto para trocar ideias e procure entender se existem fatores desconhecidos por você que podem estar afetando o desempenho.
  • Evite o tom acusatório: Não utilize frases como “você é” ou “você fez”. Ao invés disto, é melhor dizer “eu sinto que você é” ou “eu tive a sensação de que você fez”. Esse posicionamento alivia o outro e o torna mais receptivo.
  • Observe o ouvinte: Mantenha a percepção de como o ouvinte reage às suas colocações. A expressão facial irá orientá-lo se o feedback está sendo construtivo ou apenas complicando uma situação que poderia ser contornada sem grandes “atropelos” de comunicação.
  • Escute: Quem fala também deve estar preparado a escutar a outra parte. Uma comunicação unilateral não surte os melhores efeitos, por isso, esteja pronto para ver o “outro lado da moeda”.

O que não fazer num Feedback

Ao proporcionar feedback, é igualmente crucial compreender o que não fazer para evitar impactos negativos na eficácia da comunicação. Confira abaixo uma lista de práticas a serem evitadas ao fornecer feedback:

  1. Evite Generalizações: Abster-se de críticas vagas e generalizadas, pois elas podem levar a interpretações equivocadas.
  2. Não Seja Destrutivo: Evite um tom negativo ou destrutivo. O feedback deve ser construtivo, visando o desenvolvimento, não a desmotivação.
  3. Não Adie o Feedback: Atrasar o feedback pode reduzir sua eficácia. Fornecer retorno oportuno é essencial para o crescimento contínuo.
  4. Evite Ignorar Conquistas: Não se concentre apenas em áreas de melhoria. Reconheça e celebre conquistas e esforços positivos.
  5. Não Subestime o Poder do Elogio: O feedback positivo é tão importante quanto o feedback negativo. Evite subestimar o impacto positivo do reconhecimento.

Ao evitar essas armadilhas comuns, você não apenas promove um ambiente de feedback mais saudável, mas também maximiza o potencial de aprendizado e crescimento. Lembre-se, a eficácia do feedback reside na sua abordagem equilibrada e na criação de um espaço de comunicação construtivo.

Qual a importância do Feedback nas empresas?

No universo empresarial, o feedback desempenha um papel crucial. Ele não apenas fornece direcionamento para os colaboradores, mas também promove um ambiente de aprendizado contínuo. A transparência e a comunicação aberta que o feedback proporciona são fundamentais para o desenvolvimento e o sucesso organizacional.

Quais são as Vantagens do Feedback?

Tanto para o colaborador quanto para o gestor, as vantagens do feedback são inúmeras. Para os funcionários, proporciona clareza nas expectativas, impulsiona o desenvolvimento profissional e fortalece a motivação. Para os gestores, é uma ferramenta eficaz de gestão de desempenho, contribuindo para o crescimento da equipe e, consequentemente, da empresa.

  • Melhoria Contínua: O feedback proporciona uma via para identificar áreas de melhoria, promovendo o desenvolvimento constante.
  • Alinhamento de Expectativas: Facilita a compreensão mútua de expectativas entre colaboradores e gestores, evitando mal-entendidos.
  • Motivação e Engajamento: O reconhecimento através do feedback positivo impulsiona a motivação e o engajamento, criando um ambiente de trabalho mais positivo.
  • Desenvolvimento Profissional: Fornece orientação específica para o desenvolvimento de habilidades e competências profissionais.
  • Fortalecimento do Trabalho em Equipe: O feedback bem direcionado contribui para a coesão da equipe, fortalecendo a colaboração e a eficácia coletiva.
  • Gestão de Desempenho Eficiente: Facilita a gestão de desempenho, permitindo a avaliação regular e a implementação de estratégias para melhorias.
  • Retenção de Talentos: A atenção ao desenvolvimento individual e reconhecimento por meio do feedback contribui para a retenção de talentos na organização.
  • Criação de uma Cultura de Aprendizado: Estabelece uma cultura organizacional que valoriza a aprendizagem contínua, adaptabilidade e inovação.
  • Identificação de Potencial Líderes: Ajuda na identificação de líderes potenciais ao avaliar competências e habilidades de liderança.
  • Melhor Compreensão do Desempenho: Tanto gestores quanto colaboradores ganham uma compreensão mais clara do desempenho individual e coletivo, facilitando ajustes e melhorias estratégicas.

Como um sistema de RH pode otimizar esse processo?

Um sistema de RH especializado em gestão de pessoas pode ser uma ferramenta valiosa para facilitar a prática de fornecer feedback. Ele oferece alertas sobre longos períodos sem feedback, centraliza o controle dessas ações e permite o compartilhamento de informações com superiores e sucessores. Além disso, facilita o acesso às informações para aqueles que estão recebendo o feedback, permitindo-lhes também registrar suas opiniões.

Ao incorporar a ação de feedback na cultura da empresa, um software especializado confere à área de recursos humanos o controle efetivo desse processo. É importante destacar que o sistema não substitui a ação pessoal de dar feedback, mas atua como um auxílio valioso, fornecendo orientações tanto para quem dá quanto para quem recebe o feedback.

Em resumo, essa é uma ferramenta poderosa na promoção do crescimento e na construção de equipes bem-sucedidas. Ao compreender seu significado, explorar tipos e modelos, entender suas vantagens e aprender a aplicá-lo na prática, podemos transformar a maneira como nos comunicamos, impulsionando não apenas o desempenho individual, mas também o coletivo. Esteja aberto ao feedback e embarque na jornada de desenvolvimento contínuo.

  1. ↩︎

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *